A Ordem DeMolay Chega Mais Uma Vez ao Grau 33 do Rito Brasileiro

Por Secretário Executivo em 15/10/2016 | Notícia

As histórias do Rito Brasileiro e da Ordem DeMolay no Piauí constantemente estão cruzando-se nas suas caminhadas rumo à transformação do ser humano. Tudo quase começou aos 21 dias do mês de julho no postimeiro da década de 1940, onde da reunião de 25 irmãos surgia a Loja que seria berço da ordem visionária dos seguidores de Jacques DeMolay, a Augusta e Respeitável Loja Maçônica Cruzeiro do Sul V no tímido estado do Piauí, que foi criada para congregar no Rito Brasileiro, mas acabou tendo que mudar para o Rito Escocês Antigo e Aceito. Ainda não foi dessa vez, mas não demoraria muito para que o Rito Brasileiro começasse a fazer parte do caminho da Ordem DeMolay. Não é mistério para ninguém que da força de vontade dos DeMolays Cláudio Lopes e Jofran Lima as sete brilhantes luzes chegaram ao Piauí por meio do primeiro e eterno Oficial Executivo tio Almeidinha, designado pelo Grão Mestre do GOB-PI para a época a realizar esse trabalho de instalação em 28 de novembro de 1998.

whatsapp-image-2016-10-15-at-12-06-14Passados 6 anos da chegada da Ordem DeMolay no Piauí já haviam mais de 10 Capítulos a pleno vapor e então foi instalado o Grande Capítulo do Estado do Piauí nº 13, sob o comando do tio Dirceu Iglesias, também do Rito Brasileiro. Até aqui notam-se laços estreitos entre tios do Rito e o progresso da Ordem. Por outro lado, a Ordem DeMolay, ao cumprir seu papel, devolve seres bem mais preparados para a sociedade e a Ordem Maçônica não poderia deixar de absorvê-los em seu convívio. Anos mais tarde chegaria ao último grau e trigésimo terceiro da saga iniciática o filho daquele baluarte que iniciou a Ordem DeMolay no estado, Almeida Filho consagra-se o primeiro DeMolay do Piauí a atingir o Grau 33 do Rito Brasileiro.

Não muito tempo depois, na noite de ontem (14/10) outro irmão DeMolay consagra-se ao Grau 33, sob grande festa o irmão Fernandowhatsapp-image-2016-10-15-at-12-05-55
Delgado comemora na coincidência do 5º Encontro Nacional de Delegados Litúrgicos do Rito Brasileiro e 1º Encontro Nacional dos Presidentes de Corpos Filosóficos do Rito Brasileiro que ocorreu na Confraria Uchôa, restaurante na zona leste da capital. O dia estava marcado para ser de muita festa, pois momentos como esse são prova de que, assim como nosso herói mártir Jacques DeMolay, somos firmes em nossa causa e o Rito Brasileiro só tem a ganhar. Na ocasião também foram consagrados ao grau os tios Itamar Andrade, pai do Mestre Conselheiro Regional homônimo Itamar Filho, o tio Guilherme Medeiros, tão querido sobretudo pelos meninos do Capítulo Serra da Capivara n° 747 do oriente de São Raimundo Nonato e o tio Dirceu Iglesias, Ex Grande Mestre Estadual do primeiro triunvirato. Como não poderia ser diferente, estiveram presentes na concessão o famoso tio Almeidinha, anteriormente citado nessa matéria e Almeida Filho, o Soberano Grande Primaz Nei Inocencio dos Santos da Administração do Rito Brasileiro, além do tio Antônio Dias, atual Grão Mestre do GOB-PI. Tamanhas personalidades ocupando o mesmo templo, tornam essa ocasião ainda mais especial.

Caso não tenha entendido ainda o que significa chegar ao Grau 33, do Rito Brasileiro de Maçons Antigos, Livres e Aceitos; tive
a oportunidade de ouvir de um tio que apontava a outro no caminho até a Confraria onde ocorrera o jantar a seguinte frase: “servidores da ordem, da pátria e da humanidade”. De fato esta frase resume de maneira sucinta o que o Grau 33 exige daqueles que o atingem e de acordo com informações do site da Loja Maçônica Luz no Horizonte – http://www.masonic.com.br/rito/trb17.htm (acessado em 15/10/2016) esse é um titulo conferido ao iniciado do Grau 33. Onde cabe-lhe o exercício de sui generis sacerdócio não-religioso e não profissional: trabalhar com destemor na propagação dos princípios da maçonaria, identificar, como ser individual ativo, as polaridades opostas, a fim de neutralizá-las, freando o jogo espontâneo e instável do pensamento, para transformá-lo, de corrente tormentosa de reflexos do mundo, na quietude harmoniosa da disciplina interior. É trabalho que exige atenção, discrição e renúncia
sobre servir com renúncia a Ordem DeMolay, sobretudo a Ordem da Cavalaria entende bastante , para dominar os cinco venenos da mente: a ignorância, o ódio, o orgulho, o desejo incontrolado e a inveja. Para realizá-lo,é indispensável transitar pelos aspectos cerimonial e altruístico do longo processo iniciático, durante o qual a Consciência gradualmente desperta para a base filosófica da Arte Real e seu pluridimensionalismo humanístico, fundado naquilo que o Bhegavad Gita expressa: “Meu Eu sustenta todos os seres e constitui sua existência; Eu Sou o Eu que habita em tudo”. Para entender melhor, fui conversar com o tio Guilherme Medeiros, um dos agraciados pelo Grau na noite de ontem e obtive uma resposta sob dois pontos de vista.

whatsapp-image-2016-10-15-at-12-05-51

“Do ponto de vista Maçônico, alcançar o último degrau de uma escada elaborada há séculos representa um regozijo interior, mas igualmente um maior comprometimento com a Ordem Maçônica e todos os seus segmentos, onde se incluem a formação dos sobrinhos DeMolays.

Do ponto de vista da ODM, ter um Irmão (no meu caso um sobrinho), que galgou os degraus do aprendizado DeMolay e da Cavalaria e prosseguiu seus estudos até o grau 33 da Maçonaria, representa um exemplo a ser seguido, logo de início para reflexão, e além disso, a possibilidade de aprendendo mais profundamente os ensinamentos maçônicos, poder prestar uma atenção e um cuidado de maior qualidade e eficácia aos trabalhos da ODM.” Guilherme Medeiros, Presidente do Conselho Consultivo do Capítulo Serra da Capivara nº 747.

A Ordem DeMolay só tem a ganhar com esse novo time preparadíssimo de tios que trazem o conhecimento que conquistam enquanto realizam sua caminhada maçônica, para melhor elucidação e compreensão dos problemas DeMolays, assim como o conhecimento adquirido na Ordem DeMolay é de grande ajuda no desenvolvimento dos futuros trabalhos maçônicos.

“Todos que adentram na Ordem DeMolay, sempre almejam passar a Tio maçom e consequentemente chegar ao almejado Grau 33. Hoje esse sonho se realizou para mim, após muitos esforços, muito trabalho, estudo e com a devida oportunidade, pude me tornar o segundo DeMolay do Estado a alcançar o último grau do filosofismo maçônico, sonho realizado, mas que não significa fim de trabalho, pelo contrário, quanto maior o acesso que temos aos Graus superiores, quanto mais conhecimentos adquirimos mais temos que trabalhar, posso dizer com certeza que o trabalho não acabou, apenas começou!” Fernando Delgado, Presidente do Conselho Consultivo do Capítulo Guardiões do Piauí nº 370.

O cargo em comum ocupado pelos dois entrevistados, demonstra que não só na maçonaria mas também na Ordem DeMolay eles
desejam chegar ainda mais longe. O Grande Capítulo Estadual do Piauí, veementemente incentiva esse tipo de conquista, seja na Ordem da Cavalaria, seja na Ordem Maçônica, dada a complexidade do Rito e força de vontade dos irmãos/tios que perpetram os ensinamentos dele.

André Luís Passos Alves

Tags: , ,