No Piauí

Por Secretário Executivo em 06/06/2013 | Ordem DeMolay

A Ordem DeMolay no Piauí

28 de Novembro de 1998. Precisamente nesta data o Estado do Piauí recebia, em suas terras, as luzes das 07 Virtudes Cardeais de um DeMolay! Instalou-se, com grande festa, no templo do Palácio Maçônico Tiradentes, em Teresina, o Capítulo Guardiões do Piauí nº 370 da Ordem DeMolay! Era o início, para os Piauienses, e o fim de um grande projeto, para Alberto Mansur: implantar a Ordem DeMolay em todos os Estados do Brasil. Com a instalação da Ordem no Piauí, o Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil passou a ter unidades em todos os estados da Federação. É, portanto, para os Piauienses uma data histórica e, para os DeMolays do país, um marco, considerável ressalte-se, levando-se em conta o tamanho continental do nosso País.

A estória da instalação da Ordem no Piauí demonstra bem o jeito aguerrido de ser do Piauiense. Eis que passam a residir na cidade de Altos-PI, dois DeMolays, para nós, Ilustres! Jofram Lima Roseno e Cláudio Lopes de Sousa. Por um acaso, conheceram-se e resolveram convencer os maçons a patrocinar a Ordem DeMolay. Levaram o projeto à Loja Acácia Altoense. Os maçons, naturalmente, adoraram a idéia. Levaram-na ao Grão-Mestre do Grande Oriente do Estado do Piauí, José Leite Gondim Cavalcante, que acatou. Designou para a tarefa o seu Grão-Mestre Estadual Adjunto, Antônio Odeon Batista, e o seu Chefe de Gabinete, o Ilustre e eterno Oficial Executivo José Almeida de Sousa.

Definida a idéia, necessária a articulação com o Supremo Conselho. Alberto Mansur vibrou com a idéia! Ele, há muito, já desejava ver o Estado do Piauí com Capítulos DeMolays. Solicitou, então, ao Oficial Executivo do Estado do Maranhão, que providenciasse a instalação! Ocorre, então, um revés. O Estado do Maranhão desconfirma a instalação, pouco antes da data marcada! O Grão-Mestre do GOEPI, então, chama para si o compromisso de instalar a Ordem no Estado. Entra em contato com o Oficial Executivo do Estado do Tocantins e solicita-lhe a instalação, nem que para isso tivesse que custear todo o transporte dos Oficiais para Teresina. Mas não foi necessário! Quando Mansur soube da situação, determinou ao Oficial Executivo do Estado do Maranhão que providenciasse imediatamente a instalação! E assim aconteceu.

A Ordem chegou ao Piauí pelos braços de seu vizinho e parceiro Maranhão, assim como a Maçonaria, há 180 anos atrás. São fortes os laços que unem estes dois estados… outra não poderia ser a estória!

O crescimento da Ordem foi fabuloso. No seu segundo ano de existência no Piauí, cresceu para 03 Capítulos e 01 Convento de Cavaleiros. Foram instalados os Capítulos Francisco Rosa Filho Nº 411, em Altos e Luiz Ribeiro Gonçalves Neto Nº 408, em Teresina, bem como o Convento 28 de Novembro, em Teresina. Em 2000, Já eram 06 Capítulos. Foram instalados em 2000 os Capítulos João Noleto de Sousa Nº 423, em Floriano, Enéas Nunes Maia, em Canto do Buriti e Antônio Cardoso de Albuquerque Nº 466, em Picos. A Ordem começara a descer para o Sul. Em 2001, mais 03 Capítulos: Esperança Jovem Simoense Nº 474, em Simões, Monsenhor Sólon Aragão Nº 495, em São João do Piauí e Professor Carvalho Neves Nº 500, em Teresina. Alias… o número 500 foi um presente dado por Mansur aos Piauienses, quando atendeu ao pedido do então Oficial Executivo, José Almeida de Sousa, pela concessão do número para o Piauí. Em 2002, mais 02 Capítulos e 01 Corte de Chevalier: Capítulos José Barreto de Albuquerque Nº 512, em Parnaíba e Manoel Ferreira de Sousa Nº 562, em Jaicós, bem como a Corte de Chevalier Eustáquio Soares de Sousa Nº 42. Com o Capítulo José Barreto de Albuquerque, o Piauí passou a ter no Norte do Estado uma unidade DeMolay.

Até 2005, o Estado do Piauí era coordenado por uma Oficialaria Executiva, Capitaneada nos seus 07 anos de existência pelo Ilustre José Almeida de Sousa. Ressalte-se que ele permaneceu todo este tempo por desejo dos próprios DeMolays! Quando em 2004 foi promulgada a atual Constituição da Ordem DeMolay, o tio Almeidinha sentia que seu ciclo estaria findando e preparou caminho para a fundação e Instalação do Grande Capítulo do Estado do Piauí, fato que veio a se concretizar em 05 de novembro de 2005. Nesta data, por ocasião do Congresso Estadual, a Assembléia da Oficialaria Executiva da Ordem DeMolay para o Estado do Piauí decidiu pela extinção deste corpo administrativo, substituindo-o pelo Grande Capítulo Estadual da Ordem DeMolay para o Estado do Piauí, que veio a receber o número 13. Assumiu o primeiro triunvirato de dignitários ocupando os cargos de Grande Mestre Estadual, Grande Mestre Estadual Adjunto e 2º Grande Mestre Estadual Adjunto: Dirceu Iglesias Cabral Filho, Paulo Roberto de Araújo Barros e Waldemar Higino de Sousa Filho, respectivamente. Importante salientar que o Piauí adotou a mesma sistemática do Supremo Conselho no tocante à sucessão de seus dignitários.

Em 20 de maio de 2006, fundou-se no Piauí a Associação DeMolay Alumni Piauí, já prevista no Estatuto Social do Grande Capítulo Estadual como entidade integrante da Executiva do Grande Capítulo.

Em dezembro de 2006, por ocasião do Congresso Estadual, deixou o cargo de Grande Mestre o Ilustre Dirceu Iglesias Cabral Filho, ascendendo ao cargo o Ilustre Paulo Roberto de Araújo Barros.

Paulo Roberto procurou imprimir uma administração baseada em metas. Programou uma série de objetivos para serem cumpridos pelos Oficiais Executivos Regionais, com o fito de dar ânimo às unidades DeMolays. Procurou dar maior autonomia administrativa e financeira às regiões. Entretanto, teve que renunciar ao cargo de Grande Mestre em maio de 2007, visto que, na vida profana, exerce o cargo de Juiz de Direito, e o Conselho Nacional de Justiça, firmou entendimento de que seria incompatível à Magistratura o exercício da Presidência de entidades como a DeMolay.

Com a sua renúncia, ascendeu ao posto de Grande Mestre Estadual o Ir.: Waldemar Higino de Souza Filho, Adjunto de Paulo Roberto, que governou até o dia 16.11.2008.

Waldemar Higino, 3º Grande Mestre Estadual desde a criação do Grande Capítulo do Piauí, procurou fazer uma gestão de integração com a Maçonaria do Piauí. Neste mister, promoveu vários encontros com os Grão-Mestres das Potências Maçônicas regulares do Estado do Piauí. Foi em sua gestão, também, que se instalou o Capítulo Valdir Edson Soares Nº 654, sediado em Parnaíba (PI) sob os auspícios do Grande Oriente Independente do Estado do Piauí.

Waldemar Higino foi sucedido pelo Grande Mestre Estadual Adjunto – João Batista Machado – quando do encerramento de seu mandato no ínterim do VI Congresso Estadual da Ordem DeMolay, realizado em Teresina (PI) e que comemorou os 10 anos de instalação da Organização no Estado. João Batista Machado assumiu como o 4º Grande Mestre Estadual e cumpriu o seu mandato até outubro de 2009. Machado procurou aproximar-se das bases, marcando presença nos eventos mais importantes dos Capítulos interioranos. Destacou-se, ainda, por realizar o sonho de um dos Capítulos do Estado, com a doação, pelo GCE, das capas do Capítulo Esperança Jovem Simoense.

Machado fora sucedido por Ilan Kelson de Mendonça Castro, que veio a ser empossado em Parnaíba (PI), em outubro de 2009, no VII CEOD-PI. Inicialmente, seu mandato seria de 01 ano, porém, pelo êxito do seu trabalho, veio a ser novamente consagrado Grande Mestre em novembro de 2010 (VIII CEOD-PI, em Canto do Buriti-PI), permanecendo no comando do GCE-PI de 2009 até dezembro de 2011.

Sua gestão foi marcada pela ruptura de hábitos nefastos à administração, mormente ao tratamento dado à regularidade dos DeMolays. Certamente, contribuiu para evolução dos costumes capitulares nesta seara. Em sua gestão veio a ocorrer nova expansão da Ordem DeMolay no Piauí, com a instalação do Capítulo Humberto da Fonseca Benvindo, em Bom Jesus-PI. Ainda, reorganizou-se a Cavalaria no Estado, com a instalação de mais um Convento (Convento Cavaleiros da Sagrada Cruz Templária), que jurisdiciona a região Centro-Sul.

Merece destaque, também, a forte expansão das relações institucionais, principalmente com os demais Grandes Capítulos Estaduais, SCODB e SCODP (Paraguai), inserindo o Estado nas discussões estratégicas de interesse Nacional, trabalho que lhe credenciou a ocupar a Grande Comissão de Relações Institucionais do SCODB na gestão de Hugo Pinto Martins (GMN – 2011 / 2012).

Sucedeu Ilan o Ir. Thiago Nunes de Carvalho, em congresso (IX) realizado em Simões (PI), em dezembro de 2011. Nesta ocasião, veio a ser eleito mais um triunvirato de gestores para o GCE-PI, tendo sido eleitos, juntamente com Nunes, os Irmãos Marcelo Victor Leal Barbosa (1º Grande Mestre Estadual Adjunto) e Yuri Pimentel e Valente (2º Grande Mestre Estadual Adjunto).

Thiago Nunes representou a ascensão, ao cargo de Grande Mestre Estadual, do primeiro Maçom iniciado na Ordem DeMolay. Finalmente, após 13 anos de instalada a Ordem DeMolay no Piauí, um Maçom egresso da Ordem DeMolay assumiu seus destinos. Sua gestão teve por mérito a manutenção das políticas administrativas propostas pelo antecessor, bem como o inicio da regularização fiscal do GCE-PI junto à Receita Federal, medida importantíssima para a melhoria administrativa do GCE.

Com o termino do mandato de Thiago Nunes, em setembro de 2012, ascendeu ao posto vago de Grande Mestre Estadual o Ir. Marcelo Victor Leal Barbosa, que ocupou o cargo até 07.12.2013. Por ocasião daquele Congresso, com a posse do Ir. Marcelo Leal, o Ir. Yuri Pimentel e Valente ascendeu ao cargo de 1º Grande Mestre Estadual Adjunto, ficando vago o cargo de 2º Grande Mestre Estadual Adjunto. Para preencher o cargo vago, a Assembléia Ordinária do GCE realizada no ínterim do X Congresso Estadual (Teresina-PI) sufragou o Ir. Antônio de Sousa Macedo Júnior.

Devido ao término do mandato do Ir. Marcelo Victor Leal Barbosa, na ocasião do XI CEOD realizado na cidade de Picos-PI em dezembro de 2013, o Ir. Yuri Pimentel e Valente ascendeu ao cargo de Grande Mestre Estadual e, consequentemente, o Ir. Antônio de Sousa Macedo Júnior ocupou o cargo de 1º Grande Mestre Estadual Adjunto, no entanto, não houve a escolha de um nome para o cargo de 2º Grande Mestre Estadual Adjunto, ficando vago o cargo até hoje. Esta, portanto, é a atual composição de gestores do GCE-PI.